Sorriso Gengival (não cirúrgico)

O sorriso gengival é uma exposição exagerada da gengiva. Mais presente em mulheres, o sorriso gengival causa uma “desordem estética” por não trazer equilíbrio entre dentes, gengiva e boca. Essa exposição da gengiva pode ser identificada quando a gengiva, ao sorrir, fica “maior” que 4 milímetros. Ela é causada por vários fatores, dentre os mais comuns estão: problemas musculares, esqueléticos ou gengivais.

Mas existem outros problemas que podem levar as pessoas a ter sorriso gengival, como por exemplo: hipertrofia gengival, distúrbios hormonais, lábios pequenos, excesso maxilar, hiperatividade dos músculos elevadores e coroa dos dentes curta.

O sorriso gengival acaba trazendo, muitas vezes, prejuízos no que diz respeito a vida social, auto estima e confiança.

Vamos mostrar alguns tratamentos que podem ajudar a melhorar esses aspectos da vida de quem sofre com esse problema.

Lembrando que sempre deve-se procurar um dentista e ouvir as suas recomendações para cada caso específico.

Os tratamentos

Existem alguns tratamentos que podem corrigir esse problema estético e trazer harmonia ao sorriso. a gengivectomia, por exemplo, remove o excesso do tecido da gengiva.

Esse procedimento envolve a periodontia e é realizada no próprio consultório. O dentista descola suavemente a gengiva e assim expõe mais os dentes. A anestesia usada é local e a cicatrização leva de uma a duas semanas.

Depois disso, é recomendado o suporte a cada três meses. Essa cirurgia leva muitos pacientes a aumentarem sua auto estima. Eles até conseguem se relacionar mais com as pessoas, pois ficam mais confiantes com o um resultado harmónico e natural.

Em casos de sorriso gengival com mais de 8 milímetros, dependendo de cada caso, é indicado a realização da cirurgia ortognática com um medico cirurgião. Nesses casos, acontece a remoção e reposicionamento do osso.

Existe também a aplicação de toxina botulínica – botox. É feita uma aplicação de botox no músculo que traciona o lábio superior quando a pessoa sorri, então ele “trava” o lábio e não expõe a gengiva. Mas ele não é definitivo, tem que ser reaplicado a cada quatro meses, aproximadamente.

Algumas vezes, é recomendada a combinação dos tratamentos para um resultado melhor.

Tratamento do sorriso gengival com toxina botulínica

 

Se você não está feliz com o excesso de gengiva que aparece ao abrir a boca, saiba que o sorriso gengival pode ser tratado sem cirurgia, utilizando botox.

Entre os tratamentos propostos para a correção do sorriso gengival estão as plásticas nas gengivas, os aparelhos ortodônticos e as cirurgias ortognáticas, mas por serem procedimentos que demandam riscos consideráveis, maior custo e tempo, tornaram-se menos recomendados pelos profissionais.

Diferente do uso do botox que é um método simples, rápido e efetivo para a correção desse problema.

A Toxina Botulínica tipo A, popularmente chamada de botox, é conhecido pela maioria das pessoas por ser usada em tratamentos estéticos como, por exemplo, para acabar com as rugas de expressão. Mas não é apenas para isso que o botox serve.

A toxina também pode ser usada no tratamento do sorriso gengival, que age impedindo ou diminuindo a contração muscular, impossibilitando a gengiva de se evidenciar sempre que o paciente sorri. Trata-se de uma excelente alternativa para quem quer corrigir esse mal.

A aplicação do botox pode ser reversível. Os resultados do botox são temporários, podendo durar até seis meses, dependendo de como o corpo do paciente reagir. Depois desse período, ocorre um retorno da função neuromuscular. Sendo assim, o tratamento com toxina botulínica não pode ser considerado curativo, mas sim uma abordagem paliativa para a gestão do problema.

No entanto, outra grande vantagem dessa técnica é o fato de ser totalmente reversível. Com isso, a aplicação do botox nos consultórios odontológicos tem sido cada vez mais comum na correção da exposição da gengiva.

HARMONIZAÇÃO FACIAL - Casos Clínicos Antes e Depois